EFT quero resolver mas não consigo

Por Eneas Guerriero

Como resolver o dilema de quando o inconsciente dita mais forte que a mente consciente.

Medos, hábitos, conceitos e pensamentos parecem que nos impedem de viver a vida que desejamos e merecemos. Pior, eles podem ser a causa de tantas doenças físicas!

Creio que o esforço da Humanidade sempre foi em direção ao alívio desses tormentos. E a resposta sempre aponta uma direção: o controle da mente! Mas como podemos controlar a mente? Embora possamos fazer nossos julgamentos e decisões com a parte consciente, ou racional, do cérebro, é a parte inconsciente que nos dirige. Será possível controlar a mente inconsciente?

A parte consciente da mente ocupa apenas 17% de toda a área do cérebro. No entanto, ela é responsável apenas por 2 a 4% dos pensamentos e comportamentos. A parte inconsciente, aquela de difícil acesso e controle, exerce uma influência muito maior em nossas vidas, chega a ser até 98%. A neurociência já provou essa façanha, o que os sábios já diziam há séculos.

Ainda assim, continuamos preocupados em mudar nossas vidas apenas com o domínio da parte consciente. Nossa cultura ocidental exerce um grande papel de influência a esse respeito. E os diferentes métodos de controle da mente e superação de obstáculos invariavelmente trabalham apenas nesses 2% de nossa consciência que é visível.

É por isso que o Pensamento Positivo não é suficiente. A maioria dos livros de autoajuda invocam metas baseadas na vida positiva. Ótimo. Mas e se 98% de nosso ser (pode chamar de cérebro, mas tomamos o ser como um todo) ainda tem restrições a respeito? E mesmo o caminho espiritual, a conexão com um ser superior e a meditação, tão necessário para se obter o autoconhecimento e trazer mais autocontrole, será de difícil acesso se ainda travarmos conflitos com esse nosso lado inconsciente.

É por isso que temos que nos dar conta do inconsciente, e tudo o que ele significa para nós. Sociedade, família e escola nos ensinam o que fazer apenas no lado racional. E assim temos o conhecimento teórico para resolver praticamente tudo. Mas há uma enorme quantidade de medos, pensamentos, crenças e padrões de comportamento que partem de nosso inconsciente. Eles dirigem a nossa vida e dificilmente sabemos como resolvê-los.

Isso tudo porque ainda vivemos influenciados pelo pensamento do dualismo, ou a diferença entre o perceptível físico e o espírito, ou entre a razão e a emoção. Durante séculos, pelo menos no Ocidente, aprendemos a ver que se há algum problema físico, ele é exclusivamente físico e deve ser tratado como tal. Dizemos que isso não tem nada a ver com o lado espiritual.

Apesar de ainda ser um ponto de discussão para alguns, de que a doença física tem ou não tem causa psicológica, está cada vez mais provado que sim. O que passa em nossa mente (lembre-se, 98% dela é inconsciente, portanto, quase imperceptível) repercute em nosso físico!

É por isso que se faz necessário uma reconfiguração. Quanto mais esclarecidos estivermos para mudar nossa vida, mais essa visão muda no nosso cérebro consciente. O caminho da autocura deveria sempre partir desse ponto. Primeiro começamos a vibrar de maneira certa e aos poucos essa vibração conserta os defeitos físicos.

Pode-se argumentar que isso é um produto da Nova Era, quando se afirma que a mente controla o corpo. Oras, o pensamento védico na Índia antiga já dizia que o corpo é uma projeção da consciência. A meu ver, está mais cada vez mais clara a ligação mente-corpo, sem que haja distinção entre si.

O fato é que o cérebro não se encontra apenas no lado físico da cabeça, mas emana consciência por todas as células do corpo. Ele dirige o corpo. Lógico que os céticos ainda questionam como é que pensamentos e emoções chegam a causar a doença física. Isso porque a medicina tradicional não leva a sério a consciência. 

O que a neurociência está esclarecendo agora é que qualquer atitude do cérebro, seja um estresse ou sentimento negativo, seja felicidade ou bem estar, vai influenciar todas as células do corpo. Essas células recebem a mensagem e o sistema imunológico do corpo vai responder de acordo com o caso. São os neurotransmissores que se encarregam de levar a todo o corpo o que se passa na consciência. Por exemplo, o cérebro de alguém muito negativo libera essa mesma mensagem através dos transmissores para todas as células do corpo, que recebem o mesmo sentimento negativo. A cabeça comanda o nosso estado de saúde. E se somos 98% de cabeça inconsciente, imagine o que estamos fazendo com a nossa saúde! É como eu sempre digo: o lado consciente de nós já sabe como resolver qualquer problema, é o “falar é fácil”. Mas por que então não conseguimos resolver?

Portanto, se essas substâncias transmissoras moleculares são capazes de levar a mensagem do cérebro ao corpo, podemos também ativá-las fazendo com que elas levem ao cérebro uma nova mensagem. É aí que entra o papel da EFT. Com as leves batidas dos dedos em certos pontos energéticos enquanto nos sintonizamos no problema que nos aflige, estamos dando um sinal ao inconsciente de que a realidade pode ser mudada.

A EFT parte do princípio que não há distinções entre sistema nervoso, imunológico, hormonal ou digestivo. É o todo, que chamamos de sistema energético. É o que a China já estudava como Chi e a Índia como Prana.

Dessa maneira, estamos transmitindo ao inconsciente uma nova mensagem e cabe a ele, então, ver qual o melhor caminho para ativar a autocura. 

Métodos terapêuticos como relaxamento, sentimentos positivos, meditação e visualizações ajudam, e muito. O diferencial é que a EFT pode dar o empurrão que faltava. É o instrumento básico que falta para ativar o que o próprio ser, no seu lado inconsciente, já sabe, que é de se autocurar.

A EFT funcionará perfeitamente bem se for bem dirigida a cada caso específico. O importante é sintonizar-se no problema e, através dos leves toques, o inconsciente recebe a mensagem e vai saber como resolver a questão. O meu site (www.total-checkup.com.br) traz inúmeros exemplos de como se auto-aplicar para cada situação diferente.

O que eu quero mostrar a vocês hoje é um método mais universal, que não deixa de ser uma oração pedindo ao inconsciente que resolva o que o consciente não sabe como resolver. É um exercício de EFT que podemos fazer todos os dias, independentemente de nossos problemas. 

Parte do princípio de que dentro dos 98% do nosso cérebro inconsciente já existe a solução. Como a dificuldade é em acessá-la, nada melhor do que uma oração pedindo que isso aconteça. Eis aqui o exercício:

Ponto do Caratê:

Mesmo que eu tenha dificuldade em resolver o problema que me afeta, pois aparentemente eu não consigo, eu ainda assim me amo e me aceito profunda e completamente.

Mesmo que na lógica eu saiba o que tem que ser feito para resolver o meu problema, mas algo dentro de mim impede que isso aconteça, eu escolho poder agora me abrir ao lado inconsciente e ser guiado(a) para a melhor solução. Afinal, eu me amo e me aceito como eu sou.

Mesmo que eu não esteja conseguindo resolver esse problema que me assola, sei que dentro de mim já existe a solução para o caso. Por isso, procuro me aceitar da maneira como eu sou, e me amar profunda e completamente.


Rodada nos pontos:

Dê de cinco a sete leves toques nos pontos da sequência rotineira da EFT enquanto fala em voz alta essa oração, repetidas vezes: 

“Existe uma parte de meu ser que já sabe que é possível eu resolver esse meu problema (cite aqui especificamente qual é o seu problema). Esse meu ser inconsciente quer informar essa mensagem a outras partes de meu consciente e inconsciente que ainda estão ignorantes a respeito. Esse trabalho está sendo feito agora, de uma maneira suave e amável e todo o meu ser, mente, corpo e espírito, estão recebendo essa informação agora.”

Um simples exercício como esse pode ajudar-nos a soltar qualquer possível entrave que tenhamos e assim alcançar o bem estar físico, emocional e espiritual. Aproveitem!
Foto: Quero resolver, mas não consigo!


Como resolver o dilema de quando o inconsciente dita mais forte que a mente consciente.

Medos, hábitos, conceitos e pensamentos parecem que nos impedem de viver a vida que desejamos e merecemos. Pior, eles podem ser a causa de tantas doenças físicas!

Creio que o esforço da Humanidade sempre foi em direção ao alívio desses tormentos. E a resposta sempre aponta uma direção: o controle da mente! Mas como podemos controlar a mente? Embora possamos fazer nossos julgamentos e decisões com a parte consciente, ou racional, do cérebro, é a parte inconsciente que nos dirige. Será possível controlar a mente inconsciente?

A parte consciente da mente ocupa apenas 17% de toda a área do cérebro. No entanto, ela é responsável apenas por 2 a 4% dos pensamentos e comportamentos. A parte inconsciente, aquela de difícil acesso e controle, exerce uma influência muito maior em nossas vidas, chega a ser até 98%. A neurociência já provou essa façanha, o que os sábios já diziam há séculos.

Ainda assim, continuamos preocupados em mudar nossas vidas apenas com o domínio da parte consciente. Nossa cultura ocidental exerce um grande papel de influência a esse respeito. E os diferentes métodos de controle da mente e superação de obstáculos invariavelmente trabalham apenas nesses 2% de nossa consciência que é visível.

É por isso que o Pensamento Positivo não é suficiente. A maioria dos livros de autoajuda invocam metas baseadas na vida positiva. Ótimo. Mas e se 98% de nosso ser (pode chamar de cérebro, mas tomamos o ser como um todo) ainda tem restrições a respeito? E mesmo o caminho espiritual, a conexão com um ser superior e a meditação, tão necessário para se obter o autoconhecimento e trazer mais autocontrole, será de difícil acesso se ainda travarmos conflitos com esse nosso lado inconsciente.

É por isso que temos que nos dar conta do inconsciente, e tudo o que ele significa para nós. Sociedade, família e escola nos ensinam o que fazer apenas no lado racional. E assim temos o conhecimento teórico para resolver praticamente tudo. Mas há uma enorme quantidade de medos, pensamentos, crenças e padrões de comportamento que partem de nosso inconsciente. Eles dirigem a nossa vida e dificilmente sabemos como resolvê-los.

Isso tudo porque ainda vivemos influenciados pelo pensamento do dualismo, ou a diferença entre o perceptível físico e o espírito, ou entre a razão e a emoção. Durante séculos, pelo menos no Ocidente, aprendemos a ver que se há algum problema físico, ele é exclusivamente físico e deve ser tratado como tal. Dizemos que isso não tem nada a ver com o lado espiritual.

Apesar de ainda ser um ponto de discussão para alguns, de que a doença física tem ou não tem causa psicológica, está cada vez mais provado que sim. O que passa em nossa mente (lembre-se, 98% dela é inconsciente, portanto, quase imperceptível) repercute em nosso físico!

É por isso que se faz necessário uma reconfiguração. Quanto mais esclarecidos estivermos para mudar nossa vida, mais essa visão muda no nosso cérebro consciente. O caminho da autocura deveria sempre partir desse ponto. Primeiro começamos a vibrar de maneira certa e aos poucos essa vibração conserta os defeitos físicos.

Pode-se argumentar que isso é um produto da Nova Era, quando se afirma que a mente controla o corpo. Oras, o pensamento védico na Índia antiga já dizia que o corpo é uma projeção da consciência. A meu ver, está mais cada vez mais clara a ligação mente-corpo, sem que haja distinção entre si.

O fato é que o cérebro não se encontra apenas no lado físico da cabeça, mas emana consciência por todas as células do corpo. Ele dirige o corpo. Lógico que os céticos ainda questionam como é que pensamentos e emoções chegam a causar a doença física. Isso porque a medicina tradicional não leva a sério a consciência. 

O que a neurociência está esclarecendo agora é que qualquer atitude do cérebro, seja um estresse ou sentimento negativo, seja felicidade ou bem estar, vai influenciar todas as células do corpo. Essas células recebem a mensagem e o sistema imunológico do corpo vai responder de acordo com o caso. São os neurotransmissores que se encarregam de levar a todo o corpo o que se passa na consciência. Por exemplo, o cérebro de alguém muito negativo libera essa mesma mensagem através dos transmissores para todas as células do corpo, que recebem o mesmo sentimento negativo. A cabeça comanda o nosso estado de saúde. E se somos 98% de cabeça inconsciente, imagine o que estamos fazendo com a nossa saúde! É como eu sempre digo: o lado consciente de nós já sabe como resolver qualquer problema, é o “falar é fácil”. Mas por que então não conseguimos resolver?

Portanto, se essas substâncias transmissoras moleculares são capazes de levar a mensagem do cérebro ao corpo, podemos também ativá-las fazendo com que elas levem ao cérebro uma nova mensagem. É aí que entra o papel da EFT. Com as leves batidas dos dedos em certos pontos energéticos enquanto nos sintonizamos no problema que nos aflige, estamos dando um sinal ao inconsciente de que a realidade pode ser mudada.

A EFT parte do princípio que não há distinções entre sistema nervoso, imunológico, hormonal ou digestivo. É o todo, que chamamos de sistema energético. É o que a China já estudava como Chi e a Índia como Prana.

Dessa maneira, estamos transmitindo ao inconsciente uma nova mensagem e cabe a ele, então, ver qual o melhor caminho para ativar a autocura. 

Métodos terapêuticos como relaxamento, sentimentos positivos, meditação e visualizações ajudam, e muito. O diferencial é que a EFT pode dar o empurrão que faltava. É o instrumento básico que falta para ativar o que o próprio ser, no seu lado inconsciente, já sabe, que é de se autocurar.

A EFT funcionará perfeitamente bem se for bem dirigida a cada caso específico. O importante é sintonizar-se no problema e, através dos leves toques, o inconsciente recebe a mensagem e vai saber como resolver a questão. O meu site (www.total-checkup.com.br) traz inúmeros exemplos de como se auto-aplicar para cada situação diferente.

O que eu quero mostrar a vocês hoje é um método mais universal, que não deixa de ser uma oração pedindo ao inconsciente que resolva o que o consciente não sabe como resolver. É um exercício de EFT que podemos fazer todos os dias, independentemente de nossos problemas. 

Parte do princípio de que dentro dos 98% do nosso cérebro inconsciente já existe a solução. Como a dificuldade é em acessá-la, nada melhor do que uma oração pedindo que isso aconteça. Eis aqui o exercício:

Ponto do Caratê:

Mesmo que eu tenha dificuldade em resolver o problema que me afeta, pois aparentemente eu não consigo, eu ainda assim me amo e me aceito profunda e completamente.

Mesmo que na lógica eu saiba o que tem que ser feito para resolver o meu problema, mas algo dentro de mim impede que isso aconteça, eu escolho poder agora me abrir ao lado inconsciente e ser guiado(a) para a melhor solução. Afinal, eu me amo e me aceito como eu sou.

Mesmo que eu não esteja conseguindo resolver esse problema que me assola, sei que dentro de mim já existe a solução para o caso. Por isso, procuro me aceitar da maneira como eu sou, e me amar profunda e completamente.</em>


Rodada nos pontos:

Dê de cinco a sete leves toques nos pontos da sequência rotineira da EFT enquanto fala em voz alta essa oração, repetidas vezes: 

“Existe uma parte de meu ser que já sabe que é possível eu resolver esse meu problema (cite aqui especificamente qual é o seu problema). Esse meu ser inconsciente quer informar essa mensagem a outras partes de meu consciente e inconsciente que ainda estão ignorantes a respeito. Esse trabalho está sendo feito agora, de uma maneira suave e amável e todo o meu ser, mente, corpo e espírito, estão recebendo essa informação agora.”

Um simples exercício como esse pode ajudar-nos a soltar qualquer possível entrave que tenhamos e assim alcançar o bem estar físico, emocional e espiritual. Aproveitem!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EFT em Curitiba

Venha equilibrar suas energias    Terapia Holistica em Curitiba     Terapias naturais e vibracionais    Desenvolvimento pessoal através do autoconhecimento     41 3599-9922

Contato

terapiaholisticaemcuritiba
curitiba
82840-39
41 4102-3816 luzeenergia@hotmail.com